Inspirados pelos lofts, as plantas livres estão cada vez mais presentes na arquitetura e construção contemporâneas. Vão-se as paredes e divisórias, fica o planejamento cuidadoso da tipologia.

Para inspirar seus projetos, a Hometeka reuniu fotos e dicas de espaços integrados, que vêm sido explorados desde a arquitetura moderna.


via Casa Abril

Na verdade, a planta livre não é uma novidade, e sim um dos conceitos dos Cinco Pontos de Le Corbusier, publicados em 1926. Para o arquiteto, as estruturas deveriam ser independentes, de forma que permitissem a mudança de paredes, que não seriam consideradas elementos estruturais de uma construção, que por sua vez, seria sustentada por vigas e pilares.

via Casa Abrilvia Casa Abril

via Casa Abril

Acompanhados de ideias como fachadas livres, pilotis, terraços com jardim e janelas em fita, estes conceitos estiveram presentes no Brasil em obras de Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, mas são difíceis de serem aplicados em apartamentos e reformas, em que a planta não foi desenhada para ser flexível desde o começo.

Mesmo em projetos novos, as construtoras não costumam levar em consideração estas mudanças, que podem variar a cada unidade habitacional.

Para estes casos, separamos algumas dicas:

via DJ Storm Blog

via DJ Storm Blog

Antes de derrubar qualquer parede, consulte um arquiteto, engenheiro e até mesmo o síndico (se o projeto for realizado em um prédio). Esses profissionais indicarão se a reforma é possível e se poderá ser executada sem causar nenhum dano estrutural.

Outros aspectos a serem observados são os detalhes do sistema construtivo. O posicionamento do sistema elétrico, hidráulico e até mesmo das janelas tendem a limitar o projeto. Devido a tubulação, você não poderá mudar o layout das áreas úmidas tão fácil, por exemplo.

Loft Constant Motion | Landmark Architects

Loft Constant Motion | Landmark Architects

Se o projeto estiver em fase de concepção, melhor ainda. Há diversos sistemas modulares de construção, que tornam os espaços mais flexíveis. Veja aqui uma lista dos disponíveis no Brasil. Entre os mais populares estão o steel frame e o dry wall, em que a cobertura pode ser removida com mais facilidade e as paredes não são, necessariamente, elementos estruturais.

Veja também:  Hometeka para time WeWork
Vertical Loft | Shift A+U Architects

Vertical Loft | Shift A+U Architects

As plantas livres são uma grande contribuição na otimização dos espaços e na criação de ambientes integrados, mas há o consenso de que ainda deve haver algum tipo de divisão entre ambientes sociais e privados, como banheiros e dormitórios.

Nesse caso, podemos investir em divisórias alternativas, como os biombos, cobogós, cortinas, portas de correr e partições de vidro.

Loft Vasco | Urbana Arquitetura

Loft Vasco | Urbana Arquitetura

Entre os fatores negativos associados a esta tipologia estão a falta de privacidade, ambientação e isolamento acústico, o que tornaria o projeto mais apropriado para clientes solteiros ou casais.

Porém, devido à flexibilidade da planta livre, é mais fácil adicionar paredes do que removê-las. Se o pé direito for alto, também é possível posicionar áreas mais íntimas em um mezanino. Com um bom projeto de interiores, instalar uma coifa na cozinha para melhorar a ambientação e adicionar uma dose de criatividade caso as divisórias sejam muito necessárias.

 

com informações de Casa Abril, Casa e Imóveis Uol, 44 Arquitetura