Os prós e contras de estudar e trabalhar com Arquitetura e Urbanismo

Saiba os pontos positivos da graduação e profissão

Os prós e contras de estudar e trabalhar com Arquitetura e Urbanismo

Os prós e contras de estudar e trabalhar com Arquitetura e Urbanismo

Se você, jovem de 16 ou 17 anos, vai prestar vestibular, está na dúvida entre alguns cursos e já pensou em fazer Arquitetura e Urbanismo, a gente sabe muito bem como sua cabeça pode estar confusa. Como será o período da graduação? Preciso ser um desenhista nato? É uma área mais ampla, ou só vou poder trabalhar em um campo?

Para tirar as suas dúvidas e te ajudar a saber se Arquitetura e Urbanismo é mesmo o seu curso (e o que acontece depois dele), o Eduardo, dono do escritório Urban Ode – que já apareceu por aqui falando sobre o arquiteto Garciavelez – contribuiu mais uma vez com a Hometeka, e você fica sabendo agora, sob os olhos do Edu, quais são os prós e contras dessa área tão querida e concorrida:

Gostaria de esclarecer desde já que o que escrevo a seguir é contaminado de considerações minhas e diretamente afetado pela minha bagagem enquanto arquiteto e urbanista, de 26 anos, sócio de um escritório atuante em Porto Alegre.

GRADUAÇÃO

Materiais de estudoUnsplash
Materiais de estudo

Sensibilidade

Entre os prós de fazer uma graduação em Arquitetura e Urbanismo (e acredito que o mais bonito) é o fato de ser um curso sobre pessoas. É bastante técnico, sim, mas a Arquitetura e Urbanismo sem o usuário final não são nada além de utopia. Então, ao longo do curso, você vai adquirir uma visão mais humana e sensível da cidade e de seus lugares – assim torço eu.

Multidisciplinaridade

Outro ponto interessantíssimo do curso é a possibilidade de extrair dados/teses/referências de outras áreas. Se você gosta de assuntos ligados à arte, design, história, geografia, filosofia e sociologia – além da óbvia parceria com a engenharia civil – tenho certeza que você vai encontrar oportunidade para mesclar essas diversas áreas, principalmente em fases de conceituação e lançamento de partido arquitetônico.

Noites viradas x Trabalho com música

Fone de ouvido para estudar ouvindo músicaStocksnap.io
Fone de ouvido para estudar ouvindo música

A faculdade de Arquitetura tem fama de demandar dos estudantes muito tempo trabalhando em atelier, e aquelas longas horas em frente ao computador (sim, porque as pranchetas são usadas de maneira muito breve) tornam o curso um pouco aterrorizante para quem ouve falar.

Bom, asseguro para quem está lendo que, pelo menos para mim, essa fama sempre foi confirmada. De fato, é uma graduação muito trabalhosa, e raros são os estudantes que conseguem passar intactos por essas noites viradas.

Porém, esse trabalho pode ser tornar mais divertido. Boa parte dos estudantes costumam trabalhar ouvindo música, e reuniões nas casas dos colegas para passar a madrugada estudando são frequentes. Então, se você tiver que ‘’virar a noite’’, serve de consolo o fato de que você pode fazer dessa experiência a mais divertida possível.

Veja também:  Pietro Oliveira: Prêmio Casa Vogue 2021, Entrevista e a Marca CABOCO

Relação com avaliadores

O que pode ser uma relação de muito aprendizado, também pode se tornar um tanto traumática. É frequente vermos estudantes de Arquitetura e Urbanismo indignados por causa da avaliação dos professores e da maneira como elas são feitas nos painéis, diante de toda a turma. Também ouvimos muitas reclamações de maquetes quebradas, pranchas riscadas e projetos classificados com adjetivos depreciativos.

Mas a verdade é que a avaliação do professor depende muito da maneira com a qual ele conduz a relação com os alunos. Meu conselho aos estudantes seria desapegar de seus projetos enquanto bens próprios. O projeto é, principalmente no meio acadêmico, uma investigação e está sujeito e diferentes análises e julgamentos.

Então, deve-se sempre tirar o melhor de cada comentário e ter seus argumentos e convicções bem embasados para que discussão em atelier fique mais rica. Além disso, é importante ter em mente que um comentário negativo ao seu projeto não deve ser levado para o lado pessoal.

Valor gasto com materiais

Materiais para estudantesUnsplash
Materiais para estudantes

No começo da faculdade, é comum que os estudantes comprem materiais como lapiseiras, esquadros, escalímetros, pastas, blocos de papel-manteiga e até mesa de desenho. Todos esses materiais costumam ter um custo considerável e alguns são de uso bem específico ao longo da graduação.

Entretanto, o que encarece o curso é o investimento necessário em um bom computador, o constante gasto com plotagens e o custo do material das maquetes. Esses últimos três itens costumam ser os grandes vilões quando se trata do orçamento dos estudantes, mas não se consegue escapar do investimento, uma vez que pouquíssimas universidades oferecem o material necessário de forma gratuita.

Investimento extra em cursos de renderização e modelagem 3D

modelo 3D sketchupvia giphy

Uma necessidade dos estudantes de arquitetura é a de investir tempo e dinheiro aprendendo a utilizar softwares para melhor apresentarem e modelarem seus projetos. Existem diversos programas que os estudantes podem usar e todos vão demandar um tempo extra para aprendê-los.

plugin bim.bon para sketchup
Um deles é o SketchUp, que você pode aprender com a ajuda do plugin bim.bon ;)

Assim, se você não é do tipo de pessoa que consegue aprender sozinho ou assistindo a tutoriais na internet, é provável que precise de assistência e tenha que procurar cursos fora da faculdade.

Agora que você já conhece os prós e contras da graduação em Arquitetura e Urbanismo, veja o que muda e permanece na profissão na próxima página.

Eduardo Paiva

Eduardo é arquiteto e gaúcho. Interessado em arte e suas formas de expressão; também em cidades, livros, pessoas e conceitos – vistos e revistos | eduardo@urbanode.com.br | + 55 (51) 9623 3821

Comentários

  1. Carls

    24/05/2016

    obgado pelos comentarios, foram de grande ajuda, minha filha estuda arquitetura e esta prestes a se formar, serão importantes pra nos

    1. Nadine Alves

      25/05/2016

      Olá, Carlos!

      Ficamos felizes em poder ajudar você e sua filha :)

      Um abraço!

  2. Ludmila

    04/07/2016

    Muito bom este texto, bem sincero e breve. Estou na dúvida se conseguirei cursar, pois mesmo em uma faculdade pública, não sei se poderia chegar ao ponto de não ter nem um real pra comprar materiais de maquete e plotagem, ou não poder viajar com a turma. Mas quando eu me imagino arquiteta, me vejo empreendendo na área de casas de pessoas mais pobres, trazendo a arte pra perto delas e realizando um pouco dos seus desejos. Vamos ver… :-)

  3. claudio alves dos santos

    05/02/2017

    A faculdade de arquitetura e urbanismo é para uma arte,eu:com fé em Deus concluir.

  4. Eder Calvis

    20/05/2017

    Parabéns pelo texto, eu como estudante no 5º ano de Arquitetura e Urbanismo abordaria o tema na mesma forma direta, simples e sincera. obrigado pela publicação com certeza ajudara muitas pessoas.

  5. Julia Silva Santos

    08/05/2020

    Eu sempre fui apaixonada por arquitetura, mas sempre tive dúvidas se era realmente isso que eu queria fazer. Há alguns meses tive a certeza, essa é minha verdadeira paixão, eu amo projetar, decorar, escolher materiais. Assisto diversos programas de reformas, e me imagino fazendo meus projetos… Procuro diversas informações sobre o curso, vida profissional e etc. Adorei essa matéria, tão clara sobre tudo, parabéns!!!

Deixe um comentário

Assine nossa news e ajude quem precisa. De graça.

Ao se cadastrar, você escolhe entre doar, sem custo, 1 dia de capacitação para 
famílias produzirem alimentos ou 1 dia de alfabetização em Pernambuco.

Mudou de ideia? Cancele facilmente (Mas, a gente aposta que você vai adorar)



Logos Hometeka e Ribon