O retrofit é uma tendência na arquitetura e no design que surgiu na Europa a fim de solucionar um problema: o que fazer com tamanha quantidade de edifícios antigos e históricos inutilizados, ou com tecnologias ultrapassadas que impossibilitam seu uso?

O termo é pronunciado com grande frequência no dia-a-dia profissional de arquitetos, designers, projetistas, construtores e urbanistas, fazendo referência a renovações e atualizações no projeto, mantendo as características intrínsecas da obra.

Essa tendência surge como uma forma de revitalizar edifícios e outras construções trazendo a eles novas tecnologias e designs mais promissores.

Retrofit fábrica Valeo por GCP Arquitetura

Retrofit fábrica Valeo por GCP Arquitetura

Os projetos de reconversão passaram a ocorrer em países europeus e até nos Estados Unidos, cujas legislações não permitiam que o acervo arquitetônico pudesse ser substituído.

Sem possibilidade de demolição e criação de novas obras, a opção que restava era restaurar o existente. Atualmente, só na Europa cerca de 50% dos projetos são frutos de retrofit.

Assim, o retrofit surge como uma solução para edifícios abandonados ou de péssimas condições de utilização, preservando o patrimônio histórico e dando vida adequadamente aos antigos espaços.

Retrofit de uma fábrica de tecidos tornando-se o novo campus da universidade Abdullah Gül, por Emre Arolat Architects..

Retrofit de uma fábrica de tecidos tornando-se o novo campus da universidade Abdullah Gül, por Emre Arolat Architects..

Muito além de uma simples reforma, o conceito de retrofit está ligado à preservação da memória com o renascimento do bem arquitetônico modernizando-o e o readequando.

Devem ser encontradas novas soluções para fachadas, instalações elétricas e hidráulicas, circulação, proteção contra incêndio e mais.

Área pontilhada a ser revitalizada no projeto de retrofit urbano New Acadia, por Garrett Rock. 
Área pontilhada a ser revitalizada no projeto de retrofit urbano New Acadia, por Garrett Rock. 

 

Quando um edifício é “retrofitado”, nem sempre terá o mesmo uso e finalidade que possuía anteriormente.

Muitas obras de retrofit ocorrem por conta das antigas e inapropriadas instalações, seja a elétrica ou a hidráulica, dando espaço a tecnologias atuais e mais resistentes em utilização e comando.

A revitalização não se limita a edifícios e construções, mas pode ocorrer em grandes áreas urbanas ao se revitalizar parques e espaços públicos.

Veja também:  Decoração de quarto infantil: ideias e inspirações

Penthouse Cellini | Matteo Gavazzi e Amanda Vargas

Um projeto de retrofit pode sair mais caro que uma obra começada do zero. Os custos são provenientes de uma boa mão-de-obra necessária, profissionais experientes desde o planejamento até a execução, atualização de materiais e produtos, quebra-quebra ou ampliação, restauração ou substituição da alvenaria, entre outros mais processos.

As etapas de uma obra de retrofit são: demolição controlada, reforço de estrutura, fechamento, acabamentos, substituição e modernização de elétrica, telefonia e dados, hidráulica e ar condicionado, piso elevado e, por fim, a fachada.

Uma das principais vantagens do retrofit é valorizar mais o projeto no mercado imobiliário, além de torná-lo sustentável e apropriado para os tempos de hoje.

 

informações via Fórum da Construção IBDA e Equipe de Obra.