A primeira impressão é a que fica. Essa expressão é um dos principais motivos pelos quais arquitetos novos no mercado ou com escritórios recém-abertos podem não dormir direito à noite. Lembro que a ideia de ter meu primeiro projeto contratado e realizado foi motivo de muita expectativa no começo da minha carreira.

Claro que ter inseguranças é normal, mas o melhor que temos a fazer é estar bem preparados. Assim, caso apareça alguma surpresa, poderemos reagir da maneira mais natural e honesta possível.

Então, para ajudar você, que está um pouco perdido nesse contato inicial com o seu cliente, fiz este post para a Hometeka para dar algumas dicas de como se preparar para essa primeira experiência ;)

O “olá”

Como um arquiteto prepara o primeiro contato com o clienteUnsplash
Conheça bem o seu cliente

O primeiro contato de todos deve ser para conhecer as necessidades do seu cliente – e é dela que surgirá o chamado programa de necessidades. É nesse momento que ele irá expor sua demanda, seus desejos e, possivelmente, seus sonhos.

É possível que as necessidades não estejam tão claras nem o programa fechado, então, fique atento a qualquer possibilidade de complementação. Nada de deixar o cliente falando sozinho; converse com ele, mostre que você está interessado na reunião.

Porém, fuja da armadilha de dar dicas de projeto/decoração logo na primeira reunião. Elaborar um projeto não se trata de distribuir materiais e revestimentos de maneira aleatória em um ambiente, e deixar isso claro é importante para valorizar o nosso trabalho.

Com isso, considere todas as informações trazidas pelo cliente e procure se mostrar disponível para traduzir seus anseios da melhor maneira possível. Mostrando-se seguro e solícito (nada de arrogância!), você conquistará a confiança do seu cliente.

E por falar em confiança do cliente, é sempre bom ressaltar: não tente, de maneira alguma, forçar o orçamento dele.

Orçamento

Como um arquiteto prepara o primeiro contato com o clienteStocksnap.io
Vamos falar de negócios

Alinhar o orçamento do projeto com o cliente é importante por dois motivos principais: primeiro, para ter noção da viabilidade da realização do serviço; segundo, para não extrapolar o valor disponível para executá-lo.

Caso o orçamento seja muito baixo, é necessário ser franco e deixar claro que o valor não é o suficiente para realizar o serviço. Lembre-se que, caso o orçamento estoure, você deverá ser responsabilizado.

Considerando que esse é o seu primeiro contato, é provável que você ainda não saiba quanto cobrar pela mão de obra, o preço dos materiais, móveis e outros pontos. Mas não precisa se desesperar: assimile a demanda, converse com colegas, fornecedores e faça um orçamento preliminar – que pode ou não ser apresentado ao cliente. Aproveite e confira também o guia da Hometeka de como saber quanto custa construir um projeto de arquitetura.

Nesse caso, me refiro a um processo interno, no qual você tomará conhecimento dos seus instrumentos para trabalhar – outra forma seria passar o orçamento para o cliente, mas esse é outro assunto.

Projeto

Como um arquiteto prepara o primeiro contato com o clienteFrederick van Amstel
Escritório de arquitetura Skidmore, Owings & Merrill, em 1953

Um orçamento bem feito é aquele em que todos os serviços – inclusive o valor da contratação do arquiteto – são especificados e os prazos estabelecidos são realistas e bem pensados.

Itens a constar no orçamento:

  • Especificações gerais: dados gerais e tipo de serviço;
  • Fases de projeto: Estudo preliminar, Anteprojeto, Projeto executivo e todo o material que será entregue nas respectivas fases;
  • Honorários: referentes a tais serviços. Exemplo: projeto e execução de obra.
Veja também:  Com Pallet: decoração estilosa e sustentável

Você também pode contar com a ajuda do plugin bim.bon para SketchUp para realizar o orçamento do seu projeto ;)

Mão de obra

Como um arquiteto prepara o primeiro contato com o clienteStocksnap.io
Valorize seu trabalho

Em relação ao valor do arquiteto, o CAU/BR disponibiliza a Tabela de Honorários do Arquiteto e Urbanista. Com ela você pode ter um guia para estabelecer o valor do seu serviço.

É normal que surjam dúvidas nesse momento, mas enquanto profissional, é importante ter ciência do valor do seu trabalho, porque ao estipular um preço muito baixo, por exemplo, você estará desvalorizando não só a si mesmo, mas também toda a categoria.

Outra prática que é utilizada por muitos profissionais é o uso da Reserva Técnica, um aumento de ganhos através da terceirização do serviço de outros profissionais. Porém, ela não é vista com bons olhos por alguns – afinal, como o cliente pode ter certeza de que você está indicando o melhor profissional e não aquele que te trará o maior retorno financeiro? – tanto que o CAU iniciou uma campanha de conscientização pelo fim da atividade.

Obs. da Hometeka: A Reserva técnica é um assunto bastante polêmico e divide opiniões entre os profissionais da construção. Na dúvida, informe-se a respeito.

Com um orçamento coeso e suficiente para realização dos trabalhos, vamos passar ao próximo passo – a segunda reunião.

A segunda reunião

Como um arquiteto prepara o primeiro contato com o clienteUnsplash
Cuidado com os detalhes

Depois do cliente apresentar o programa de necessidades e o orçamento para a realização do serviço na primeira reunião, na segunda é você quem deve apresentar o programa de necessidades complementado (como sugestão) e apresentar o seu orçamento, ou seja, o preço da sua contratação. Essa é a hora de ser o mais claro e profissional possível; manter a relação de confiança que você criou no primeiro contato.

Contrato

Como um arquiteto prepara o primeiro contato com o clienteUnsplash
Hora de fechar o negócio

Orçamento aprovado na segunda reunião, a terceira etapa é elaborar um contrato de prestação de serviços. Ao contrário do que muitos pensam, ele é uma importante forma de proteção das partes, mesmo que seja o chamado “contrato de gaveta”, não-oficial.

No contrato, são repetidas algumas informações do orçamento, como descrição dos serviços e prazos, além da obrigação de ambas as partes no desenvolvimento dos trabalhos.

Aqui vão algumas dicas de informações a serem inseridas no contrato:

  • Informações do orçamento complementadas;
  • Obrigações de contratante e contratado;
  • Cláusula Penal: para caso de rescisão;
  • Considerações finais: para qualquer comentário que não se encaixe nas categorias acima e/ou queria ser enfatizado.

Além de tudo isso, acredito que a dica mais importante seja: esteja seguro do que você pode fazer! Você deve estar ciente do que pode oferecer ao cliente e quais são as suas limitações, então não prometa o que não puder cumprir, deixe suas condições de trabalho claras e dê o seu melhor dentro do que foi combinado.

Ah, e não se esqueça: o boca-a-boca ainda é a forma mais usual de conquistar novos trabalhos, então mantenha uma boa relação com o seu cliente :)

O que você achou das dicas? Tem mais alguma que pode ajudar? Compartilhe com a gente nos comentários!

 

TAMBÉM QUERO ESCREVER PARA A HOMETEKA! COMO FAZ?

Ficou sabendo de um assunto legal sobre arquitetura, decoração ou design e gostaria de escrever sobre ele na Hometeka? É só mandar um e-mail para ola@hometeka.com.br que te daremos as instruções e logo mais seu texto poderá ser publicado por aqui :)