Começar um projeto de decoração de um ambiente ou renovar o estilo do design de uma casa não é tarefa fácil – são muitas ideias e sugestões para serem amarradas em um único ambiente.

Os profissionais de decoração de interiores são parte fundamental nesse processo. São eles que conseguem reunir a personalidade e as vontades dos moradores para deixar o ambiente com a cara de quem o habita.

Por isso, a Hometeka separou 5 dicas essenciais para que decoradores, designers e clientes se entendam bem.

Faça networking

É fato que contatos são fundamentais para sua vida profissional e para seu reconhecimento no mercado de trabalho. Mas, além disso, um bom networking é essencial para que você tenha diferenciais a oferecer para seus clientes.

Conhecer designers, fornecedores, arquitetos e outros profissionais da área permite que você consiga descontos especiais na hora de orçar um projeto. Além disso, ter uma boa noção do que o mercado pode oferecer te ajuda a clarear as ideias do cliente do que é e do que não é possível de ser feito.

Cuidado com o orçamento

Sabemos que cada novo projeto é como uma tela em branco – as ideias são infinitas quando o assunto é decoração. Embora a intenção seja elaborar um ambiente com bom gosto e capricho, não pese a mão na hora de montar o orçamento do projeto.

Antes, estabeleça um limite de gastos com o seu cliente para saber o que você pode oferecer de proposta para atender às suas necessidades. É importante que ambos saibam da quantia disponível para o projeto de decoração – assim, você não frustra o cliente propondo algo que o agrade mas que o preço não é acessível.

Seja prático e criativo: tente intercalar produtos sofisticados com alguns outros de preço mais acessível. Lembre-se de visar o custo-benefício na hora de escolher o que usar em seu projeto – o cliente certamente vai valorizar a sua preocupação com gastos excessivos. Aqui, a gente te dá dicas de como orçar um projeto de interiores.

Veja também:  Peças de decoração provam que o upcycling é muito mais interessante que você imaginava

Não precisa ser tudo novo

Para ajudar a aliviar o orçamento, procure aproveitar ao máximo a mobília e o espaço já existentes no ambiente. Entenda que renovar não significa jogar tudo fora e decorar a casa só com novos itens.

Estude bem o ambiente para o qual você projetará uma decoração para que o local fique de cara nova, mas sem grandes desperdícios ou descartes desnecessários.

Ouça os “não’s”

Depois de tomar os devidos cuidados com os custos do orçamento, apresente seu projeto para o cliente. É importante que, neste momento, você detalhe todas as ideias e os conceitos que foram usados para chegar no resultado apresentado.

Entenda que nem sempre os clientes vão aprovar seu projeto por completo – ou, as vezes, eles simplesmente não vão aprovar nada. Se achar necessário, defenda suas ideias mais uma vez, mas, caso a opinião do consumidor não mude, acate os vetos e refaça as partes do projeto que desagradaram. Procure estabelecer um diálogo mais claro para que você compreenda melhor as vontades de quem contratou seus serviços.

Não descarte as preferências do cliente

Os consumidores, muitas vezes, não estão por dentro das últimas tendências do design ou dos conceitos de decoração. Mas, é importante lembrar que o ambiente a ser elaborado é destinado ao cliente e, por isso, você deve ser flexível com as escolhas de quem vai habitar o local.

Cada projeto tem uma cara e, mesmo que o cliente aposte em tendências de design ultrapassadas, projete um ambiente com o qual ele se identifique e que se sinta à vontade.

Mantenha sempre um diálogo aberto e frequente com seu cliente – só assim vocês poderão chegar a um denominador comum para, finalmente, tirar o projeto de decoração do papel.

 

imagens via Sanvi Imóveis, Casa Abril, Evasabbado, Casa Atelier, Blog Alfredo Junior, GNT Globo, Nossa Web, Decoração Salas, Elephant in the Room