Conhecida como a Capital Mundial do Design, Milão realiza desde 1961 o seu Salão do Móvel, que leva novidades e tendências das principais marcas e designers para o mundo. Muitos dos objetos apresentados nos pavilhões são conceituais e não chegam a ser vendidos para o público, mas uma coisa é certa: se está no Salão do Móvel de Milão, é referência para o mundo do mobiliário, da arte e do design.

Em 2016, o evento aconteceu entre os dias 12 e 17 de abril e contou com mais de dois mil expositores diferentes e tendências variadas – como não pudemos participar pessoalmente, contamos com a ajuda de alguém que entende muito bem de tendências em arquitetura e design: Pedro Ariel Santana, arquiteto, jornalista e Diretor de Conteúdo e Relacionamento da Casa Cor.

Pedro Ariel SantanaCasa Cor Minas
Pedro Ariel Santana

Pedro compartilhou sua experiência durante o Casa Cor e Conversa, que contou com a presença de arquitetos e designers de interiores de Belo Horizonte e com a divulgação de uma surpresa da Hometeka especialmente para os profissionais da área. (Fique de olho: vem novidade por aí!)

Conheça as 4 principais tendências apresentadas em Milão, inspire-se e utilize como referência para seus próximos projetos:

1- Orientalismo

50 chairs of Manga | Kenya Hara
50 chairs of Manga | Kenya Hara

O Japão é conhecido por sua arquitetura minimalista aplicada em projetos grandiosos. Dessa vez, as grandes marcas e designers também resolveram apostar no design experimental e reflexivo do Oriente para a produção de suas peças.

Na mostra Subtle, com curadoria e participação do designer Kenya Hara, o destaque ficou por conta da delicadeza, leveza e sutileza através de objetos de design feitos inteiramente de papel. Inspiradas nos origamis, as peças foram produzidas por 15 arquitetos e designers diferentes e representam flores, coroas, plantas e outros itens abstratos.

Oki Sato, designer da Nendo, participou da mostra na instalação 50 chairs of Manga, com cadeiras minimalistas que brincam com formas, linhas e perspectivas em uma adaptação do conceito dos mangás (tradicionais histórias em quadrinhos no Japão) para o design. Cada uma delas evoca uma sensação de história, e o acabamento espelhado cria novas camadas espaciais e reflete o mundo real, assim como os mangás.

Nos móveis e utilidades, o destaque vai novamente para a Nendo (com peças desenhadas para a Moroso), para Kichi Futatsumata (com a linha de talheres The Cutlery Show) e as cerâmicas com acabamento impecável de Kim Hye-jeong.

2- Design feminino

Stand da Cassina, com mobiliário de Patricia Urquiola
Stand da Cassina, com mobiliário de Patricia Urquiola

Cores vibrantes, ambientes descontraídos, estampas que fogem do óbvio e geométrico e, é claro, a valorização das grandes designers mulheres. É assim que Pedro Ariel caracteriza o design feminino, representado neste ano por Patricia Urquiola, Nika Zupanc e outros nomes importantes.

Hotel Giulia | Patricia Urquiola
Hotel Giulia | Patricia Urquiola

Urquiola participou com uma série incrível de mobiliário desenhado para a Moroso e para a Cassina, além do Hotel Giulia, projeto com clima aconchegante que envolve produtos feitos à mão, bom uso de materiais e equilíbrio entre cores vibrantes e frias.

Já Zupanc apresentou uma série de cadeiras, sofás e objetos criados para a Sé London. Com design bastante delicado e inspirado em itens de “casinhas de boneca”, destacam-se as cadeiras Stay, o sofá Stardust e a Whisper Box. Cuidado ao acessar o site da designer: vai ser difícil não querer levar tudo para casa.

Exposição W – Women in Italian Design
Exposição W – Women in Italian Design

Na Triennale Design Museum, que começou junto ao Salão do Móvel e vai até abril de 2017, o destaque é a exposição W – Women in Italian Design, que conta com mais de 600 produtos de 350 designers italianas diferentes, dando visibilidade a artistas que dificilmente conseguiriam apresentar seu trabalho em um circuito tão disputado como o de Milão.

3 – Menos e melhor

Tamanho reduzido, mais conforto, estética e elegância. Podemos definir assim a proposta do menos e melhor, que contou com mobiliário minimal do premiado brasileiro Jader Almeida para a Sollos e com a Ico Chair, de Ora Ito, para a Cassina. A cadeira é uma releitura da 814 chair, desenhada em 1950 por Ico Parisi.

4- New craft

Luminárias da Servomuto
Luminárias da Servomuto

O new craft é marcado pelo design alternativo e pelo retorno às origens culturais da Itália para reencontrar a essência do design. Quase como um artesanato moderno, o new craft busca um questionamento que resgata técnicas antigas na confecção de peças e objetos.

Representando a tendência, a Servomuto apostou em luminárias que reúnem algodão, madeira e concreto em uma aparência contemporânea. Já Marcelo Rosenbaum levou para Milão a exposição Encuentro, com peças bastante coloridas produzidas por artesãos peruanos.

Passeando pela loja online da Hometeka, encontramos algumas coisas que se encaixam muito bem nas tendências de Milão. Para o new craft, escolhemos o Conjunto de xícaras Soalheiro e a Cadeira Alinhavo de Regina Misk. Para o design feminino, a Cadeira Allegra vermelha e os jogos americanos estampados da Lupi Design.

Para o menos e melhor, nossa aposta é no Sofá Brick e nas mesas Hairpin. E para o orientalismo, escolhemos o Pendente Labirinto e a Banqueta Lili. Afinal de contas, não é preciso ir até Milão para encontrar design atual e de qualidade :)

 

E então, o que você achou das tendências? Qual delas você mais gostou? Compartilhe sua opinião abaixo nos comentários.

 

Agradecimento especial: BEI Editora, que ofereceu livros de Design e Arquitetura para sorteio entre os profissionais presentes no Casa Cor e Conversa.

imagens via Nendo, Kenya Hara, Futatsumata, Nika Zupanc, Facebook, Trienalle, Kim Hye-jeong, Inexhibit, Casa e Cia, Ora Ito, Designboom, Servomuto, Luster Magazine, Sollos.