A Hong Kong Lighting Fair é a maior feira de iluminação do mundo. Segundo a HKTDC, (Conselho de Desenvolvimento do Comércio de Hong Kong e organizador da feira), o evento tem mais de 2.600 expositores. No Brasil, uma grande feira do setor chega a ter 250 marcas presentes. Ou seja, a escala do evento é impressionante.

screen-shot-2016-11-16-at-1-48-24-pm
Por dentro da Hong Kong Lighting Fair

A Hong Kong Lighting Fair é também um lugar onde milhares de marcas exibem seus produtos. A grande maioria lançamentos, para dezenas de milhares de pessoas que vêm de mais de 148 países. É um mapa para indicar quais serão as principais tendência de iluminação para 2017 (e além).

screen-shot-2016-11-16-at-1-52-28-pm
Luminária feita com materiais naturais

À convite do HKTDC a gente foi pessoalmente conferir a Hong Kong Lighting Fair.

Aqui te contamos como deve ser a iluminação das nossas casas em um futuro breve. Quer saber?

Eco e materiais naturais

O interesse por produtos sustentáveis ou que nos aproxime da natureza foi uma das tendências mais vistas na HK Lighting Fair. E também uma das mais amplas, pois incluía evoluções super tecnológicas, como LEDs até 45% mais eficientes, até projetos de design que buscavam a sensação de ter a natureza dentro da nossa casa, aplicando materiais naturais ao toque como madeira.

Madeiras de origem certificada, por exemplo, estavam em muitos produtos. Unidas a materiais frios como o concreto e o aço, elas dão a sensação de aconchego e calor das matérias primas naturais.

A preocupação dos fabricantes com a sustentabilidade não é necessariamente uma tendência: é um tema quase recorrente. O que vimos de novidade na feira é como esta premissa tem sido incorporada nas bases dos projetos de design. Antes, o design de sempre incorporava novos materiais sustentáveis, agora o projeto de design já parte destes materiais.

screen-shot-2016-11-16-at-1-55-15-pm
(foto divulgação – catálogo do fornecedor)
screen-shot-2016-11-16-at-2-04-56-pm
Luminária no estilo vintage

Vintage tecnológico

Parece que os designers perceberam que se inspirar na estética vintage não necessariamente significada usar tecnologias antigas.

Uma tendência que vimos foi a de produtos que são inspirados na estética dos anos 50 e 60, mas que usam tecnologias atuais. Por exemplo, interruptores em que não é preciso apertar, são apenas pontos em que você encosta levemente. Ou ainda lâmpadas de LED dimerizáveis para ajustar a intensidade como quiser, e ainda gastar pouco na conta de luz.

Outra combinação útil e curiosa são luminárias com cara de antigas, mas cuja base pode carregar seu smartphone magneticamente, sem precisar de cabo! Você chega em casa, acende a luz, deixa seu iPhone na base da luminária e pronto, ele carrega.

 

screen-shot-2016-11-16-at-2-07-12-pm
Luminária pendente BOBO

Integração entre lâmpada e luminária

Até hoje, lâmpada e luminária são duas coisas diferentes basicamente porque você precisa que a lâmpada seja trocada quando queima.

Com a predominância da tecnologia do LED, cada vez mais eficiente e com vida útil mais longa, esta distinção tende a acabar. Os LEDs vão durar tanto que vai ser irrelevante tê-los separados da luminária. Isto abre toda uma janela de oportunidade para novos designs.

A luminária pendente BOBO, por exemplo, parece convencional, mas ao ser vista por dentro, você vê todo o fundo do círculo iluminando em um painel de LED curvo integrado.

Europa + China = bom e barato

Veja também:  Hometeka Visita: Gema + MTrancoso

Uma novidade, de processo é a colaboração entre fabricantes chineses muito eficientes no custo e excelentes designers europeus.

Um exemplo é a marca espanhola Faro. A Faro fabrica na China luminárias que são projetadas por designers conhecidos da Europa.

De uma colaboração assim surgiu a linha Mine, do estúdio Nahtrang, baseado em Barcelona. Vimos os produtos de perto e o acabamento é impecável. Encaixes bem detalhados, materiais de qualidade que dá para sentir no peso.

screen-shot-2016-11-16-at-6-56-56-pm
A luminária Mine, criação do estúdio Fa.ro

Balanço da Hong Kong Lighting Fair

Este post deve representar 0.01% do que a Lighting Fair exibe todos os anos. Além de iluminação para casas e escritórios, a feira também inclui expositores de componentes para fabricantes, iluminação técnica – marcas de lâmpadas específicas para hospitais, LEDs para varejo, etc. Havia ainda um outro pavilhão com fabricantes especializados em iluminação de áreas externas, incluindo iluminação pública. E muito, muito mais.

Como nosso foco é design para casa, este foi o recorte que colocamos para conseguir visitar toda a feira. Ainda assim, foram centenas de fabricantes e três dias de muita, muita, caminhada.

Sem dúvida, boa parte do que veremos em breve iluminando nossas casas estava por lá. E além dos expositores havia palestras, painéis e rodadas de negócios. A gente participou tanto da rodada de negócios – tivemos um espaço exclusivo da Hometeka organizado pelo HKTDC para conversar com os melhores fornecedores – como também fomos convidados para contar um pouco sobre nosso negócio e as tendências no Brasil no fórum ‘Market Opportunities in Emerging Countries’.

fullsizerender
O diretor da Hometeka, Leandro Araújo, fala sobre tendências brasileiras para iluminação noFórum Market Opportunities in Emerging Countries

A gente foi longe para buscar os melhores designers e produtos mais inovadores para você. Em breve você verá aqui na Hometeka os produtos das marcas mais legais que estavam na Hong Kong Lighting Fair. Fizemos uma curadoria super especial que logo mais ficará online. Aliás, se você ainda não se cadastrou na nossa newsletter seja também um assinante para saber quando os produtos estarão online para compra!