3 clássicos

“Desenhar uma cadeira é quase tão difícil quanto projetar uma casa”. A frase é do arquiteto alemão Mies van der Rohe (1886-1969), um dos principais nomes da arquitetura do século XX.

Mies van der Rohe tem autoridade no assunto. É de sua autoria o projeto de um dos maiores ícones do design moderno, a poltrona Barcelona. Tendo sido professor na escola Bauhaus, suas peças e projetos arquitetônicos são marcados pela elegância, minimalismo e uma aura cosmopolita. Foi também Mies van der Rohe quem proferiu as famosas frases “Less is more” (“Menos é mais”) e “God is in the details” (“Deus está nos detalhes”).

Composta por uma única estrutura de aço chapado, pés em formato de x e estofado de couro botonê costurado à mão, a sofisticada Poltrona Barcelona foi projetada para receber o rei e a rainha da Espanha no pavilhão alemão da Exposição Universal de Barcelona de 1929. A intenção do arquiteto era criar uma poltrona na qual a monarquia tivesse o mesmo conforto que experimentava ao sentar em seus tronos.  O design inovador tornou a Poltrona Barcelona uma das principais representantes da Bauhaus e um ícone da modernidade.

Alguns anos antes, na mesma Bauhaus de Mies van der Rohe, outro clássico do design surgiu do encontro entre outros dois professores: o arquiteto e designer húngaro Marcel Brauer e o pintor russo Wassily Kandinsky.

Datada de 1925, a cadeira Wassily foi projetada por Brauer para adornar a casa de Kandinsky. Brauer se inspirou em uma bicicleta para criar a cadeira, cujo nome Wassily, refere-se ao primeiro nome do pintor. Essa peça, que tem quase oitenta anos, continua atemporal e marca presença até hoje em inúmeros projetis de decoração de interiores.

No Brasil, Joaquim Tenreiro foi uma das principais forças revolucionárias no mobiliário moderno nacional. Nascido em Portugal, Tenreiro começou a trabalhar no Rio de Janeiro na década de 20. Exímio artesão da madeira, destilava críticas à mentalidade provinciana da sociedade brasileira que só valorizava as tendências européias clássicas.

Veja também:  Materiais que Aquecem

Tenreiro propôs uma linguagem contemporânea e advogou a tese de que os móveis brasileiros deveriam ser formalmente leves. Os móveis do designer casavam perfeitamente com os ambientes projetados pelos adeptos do modernismo, que pediam ambientes livres do excesso de ornamentação. Um de seus maiores clientes foi Oscar Niemeyer.

Tenreiro desenvolveu uma linha de peças adaptadas ao calor tropical do País, usando abundantemente a palhinha (ao contrário dos veludos que até então imperavam) e as madeiras brasileiras. O móvel moderno, para ele, deveria estar baseado na honestidade de propósitos, na eliminação do supérfluo, no ajuste de função e na limpeza plástica.

Aposta bim.bon

Desenhada pela premiada designer argentina Patricia Lascano, a Cadeira  Sud Tauari-vermelho possui linhas simples e precisas. Esculpida em Tauari maciço de manejo auto sustentável, a cadeira possui estrutura leve, travada pelo encosto e braços encaixados entre si, e pode ser empilhada. Seu design minimalista é inspirado em tipologias dinamarquesas, mas pensado para produção local.

O visual clean da peça reflete os valores da Cremme, marca franco-brasileira que preza pelo design simples e puro. Um dos lemas da marca é que a simplicidade exige perfeccionismo, por isso o cuidado na curadoria criteriosa de design e na escolha dos melhores fabricantes nacionais e matérias primas nobres a fim de produzir peças de qualidade superior, feitas para ficar. Conheça alguns de seus produtos:

  

A Cremme conta ainda com mesas, armários, estantes, escrivaninhas, camas de casal ou solteiro, móveis para a sala, móveis para escritório e móveis para dormitórios. A marca comercializa móveis e acessórios de decoração através de loja virtual e showroom. Clique aqui e conheça os produtos da Cremme disponíveis no portal bim.bon. As peças já estão modeladas para SketchUp e podem ser aplicadas em seu projeto a partir do plugin Bim.bon.

fotos Divulgação