Os trabalhadores de Nova Iorque perdem aproximadamente 16.6 anos de suas vidas esperando elevadores. São mais 5, se você contar o tempo que eles passam lá dentro.

Para otimizar esse tempo perdido, a Thyssenkrupp projetou o MULTI, um elevador capaz de se mover tanto na vertical quanto na horizontal. Mais rápido, o elevador conta com outro importante diferencial – novas possibilidades de arquitetura e design.

Descubra como o elevador do futuro funciona a seguir.

Desde 1864, os elevadores tem sido relativamente parecidos ao longo do tempo. Ao longo desses 160 anos, houveram ajustes de segurança, altura, design etc. Mas nada que mudasse a fórmula básica de um elevador: uma cabine que se move verticalmente através de um sistema de cordas.

O que a Thyssenkrupp fez foi mudar esse sistema radicalmente. Ao contrário de um elevador convencional, o MULTI dispensa cordas e utiliza mecanismos parecidos com o de um metrô:  um freio inteligente associado a um sistema que conduz a energia do eixo até o compartimento do elevador – com o potencial de movimento na vertical e na horizontal.

A ideia é que mais de uma cabine circule pelo projeto em loop, com um modelo bem parecido com o que é adotado em trens muito velozes, baseado na levitação magnética.

O objetivo é aumentar a capacidade dos elevadores em até 50%, com uma velocidade contínua de 5 m/s. Isso faria com que uma pessoa tivesse que esperar apenas de 15 a 30 segundos para entrar no elevador.

Além da diminuição do tempo da espera, o MULTI promete ocupar menos espaço. Para você ter uma ideia, projetos de elevadores convencionais chegam a ocupar 40% do espaço de um edifício.

Veja também:  Mês do orgulho LGBTQIA+

Com o MULTI, os profissionais teriam mais área para trabalhar e mais possibilidades de design, principalmente de expansão vertical.

Para testar o produto, a Thyssenkrupp vai implementar o elevador em uma torre em Rottweil, na Alemanha (foto), que ficará pronta em 2016.

Leia também:

via designboom

imagens Divulgação