Fontes alternativas de energia são sempre um assunto presente em construções com pegada sustentável. A adoção de sistemas que forneçam a energia necessária sem causar impactos à natureza, seja através do sol, do vento, de resíduos vegetais, é uma preocupação atual de profissionais da construção.

A energia solar é uma das mais acessíveis fontes energéticas com impacto ambiental reduzido. Hoje é possível iluminar ambientes, energizar tomadas, aquecer água e muito mais através desse tipo de energia. Para saber como aproveitar essa tecnologia, confira o guia a seguir e veja as possibilidades que o mercado oferece atualmente:

Aquecedor solar

São comumente encontrados em residências brasileiras e possuem a finalidade de aquecer a água que é usada na residência. A água usada em chuveiros e piscinas pode ser aquecida de forma eficiente e barata.

Essa tecnologia é simples e já está no mercado há um tempo. Por isso é possível encontrar uma grande diversidade de fabricantes e preços.

A tecnologia consiste em colocar serpentinas cheias d’água em superfícies que recebam grande incidência de luz solar. Essas serpentinas podem ficar expostas ou dentro de placas de vidro ou de alumínio pintado em uma cor escura.

Esses canais ficam extremamente quentes e aquecem a água que passa por ali. A água é então levada para um reservatório cilíndrico, chamado de Boiler, onde a água fica disponível para os moradores.

Painel fotovoltaico

Diferente da tecnologia anterior, os painéis fotovoltaicos convertem a energia solar diretamente em energia elétrica e não em energia térmica para o aquecimento de água. Através desse painéis é possível ligar um aparelho de TV e acender as lâmpadas de casa, por exemplo, através da energia do Sol.

Esses sistemas ainda são complexos e custosos, mas estudos já comprovam a sua viabilidade econômica. O custo de instalação em si também é alto e por isso são geralmente instalados em lugares de difícil acesso à eletricidade.

Veja também:  Entrevista com SP Estúdio: gestão e organização de escritórios de arquitetura

Dicas de instalação

As placas de aquecimento solar devem ser posicionadas voltadas para o norte, numa inclinação que permita boa absorção dos raios solares. Uma boa dica para calcular essa inclinação é somar 10 graus à latitude do local em que a tecnologia está sendo instalada.

A cidade de São Paulo, por exemplo, está localizada a uma latitude de 23 graus e por isso, a inclinação de um coletor solar na cidade deve ser de 33 graus.

O Boiler deve ser instalado o mais próximo possível das placas coletoras para que não haja perda de calor durante o processo de deslocamente da água. Já que a água quente é menos densa, ela consegue ser empurrada naturalmente para o reservatório se ele estiver em uma posição elevada em relação à placa.

Dias chuvosos ou nublados

Por vivermos em um país com clima tropical, esse tipo de energia é eficaz durante maior parte do ano. Em dias chuvosos ou nublados, os aquecedores trabalham normalmente com um sistema auxiliar de aquecimento, que pode ser a gás ou elétrico.

Eficiência e vantagens econômicas

A média de redução de gastos com eletricidade em casas com sistema de aquecimento solar é em média de 30%. Alguns equipamentos mais modernos são capazes de esquentar a água até 90 ºC.

Os principais fabricantes do mercado afirmam que o sistema se pagará entre 24 e 36 meses após a sua instalação. Outra afirmação atrativa é que os equipamentos têm vida útil de cerca de 20 anos, o que garante a vantagem desse sistema.

Conheça também o Rawlemon, esfera de vidro que capta energia solar – clique aqui para ver.