Espelhos gigantes levam luz solar a uma cidade na Noruega. Antes da intervenção, Rujkan passava seis meses no escuro.

O projeto é a concretização de uma ideia secular, proposta em 1913 por Sam Eyede, um dos fundadores da cidade. O Solspeil, ou ‘espelho do sol’ reflete a luz do topo da montanha, que bloqueava a iluminação do pequeno município no inverno.

Em 2005, um dos moradores da cidade – Martin Anderson – resolveu levar a ideia pra frente. De lá pra cá foram construídos teleféricos, espelhos e sistemas computadorizados que trouxeram o Sol a Rujkan.

A estrutura fica a 742 metros de altura e totaliza 51 m2 de área. A porção refletida, no entanto, gera um espaço iluminado de 600m2 no centro da cidade. Isso acontece porque os espelhos captam a luz do sol e a refletem em forma de uma elipse, mantendo de 80 a 100% a qualidade luminosa da luz solar.

Os espelhos, ou heliostatos, movem-se em dois eixos que seguem a rotação solar durante o ano inteiro. A própria energia do sol e do vento dão energia para o Solspeil funcionar.

A instalação atraiu turistas para a cidade, além de resolver um problema de saúde pública entre os moradores – a falta de vitamina D, proporcionada pela exposição da pele à luz solar.

 

fotos Divulgação

Veja também:  Hometeka Visita: Gema + MTrancoso