O melhor amigo do homem passou a morar com ele. Agora que os cachorros já não estão mais restritos às casinhas de madeira, os pets tornaram-se figuras importantes em qualquer projeto de arquitetura e interiores.

A chave para manter a casa e a boa companhia do seu animal de estimação é justamente integrar os espaços e necessidades, especificando os materiais corretos e seguindo algumas dicas que deixam qualquer ambiente pet friendly. Confira:

1. Esqueça os carpetes

Carpetes acumulam odores, mancham  e parecem atrair pêlos, logo, não são ideais para a companhia do seu cachorro. O mesmo vale para tapetes. Se você ou o cliente tiverem apreço por algum, o melhor é pendurá-lo nas paredes.

O único tipo recomendado pela designer de interiores, Julia Szabo, especialista em ambientes para cães, é o tapete ou uma esteira de sisal, que são limpos com mais facilidade e tem um custo mais baixo caso tenha que ser jogado fora.

2. Escolha o piso ideal

Esse item é muito importante, considerando que a maioria dos animais transita diretamente no chão do ambiente. Mas sem carpetes ou tapetes, qual o piso ideal para espaços com cachorros?

Bom, especialistas recomendam concreto pintado pelo custo-benefício e pela facilidade de limpar e aspirar pêlos. Saiba mais sobre esse tipo de piso aqui.

Pisos de madeira não são uma opção descartada, mas animais de grande porte podem arranhar o chão com facilidade.

Já materiais porosos como mármore e pedras naturais não são indicados. A saliva dos animais pode manchá-los.

Por fim, a melhor opção é a cerâmica, difícil de arranhar, fácil de limpar e uma boa ideia para os seus pets se refrescarem no calor.

3. Dedique um espaço para o seu pet

Cachorros geralmente gostam de correr e brincar pela casa, assim, é bom ter um espaço dedicado para que eles se exercitem e façam suas necessidades.

Se há a possibilidade de um jardim, melhor ainda. Há várias espécies de plantas não-venenosas para animais (nem crianças), que melhoram a qualidade de vida do seu animal.

Aliás, um pequeno espaço com grama é muito benéfico. Alguns especialistas apontam que os cachorros procuram a grama para alimentar-se em caso de desconforto intestinal, para complementar a dieta e até mesmo para procurar informações de uma possível presa.

Veja também:  Quarto de Bebê por Márcia Mundim

Tente estabelecer espaços de entrada e saída para os animais, como as ‘dog doors’, de preferência para uma área úmida, como a lavanderia, que pode ser facilmente limpa e em alguns projetos, serve até como um ambiente de banho do animal.

Se nada disso for possível, como no caso de um apartamento, uma ideia é dedicar um espaço no projeto para comida e água do cachorro, assim como para toalhas e coleiras. O ambiente fica mais organizado e cuidar do seu pet fica mais prático.

Muitos projetos americanos dedicam uma partição especial na ilha da cozinha para a área de alimentação do cachorro. Uma outra ideia é criar nichos debaixo de prateleiras, ilhas e escadas para que o animal tenha seu espaço próprio de dormir e brincar sem conturbar o ambiente.

4.  Pinte as paredes com a tinta certa 

É difícil manter uma parede branca com animais em casa. Em 5 minutos aparecem manchas nas paredes e batentes. Nesse caso, é bom investir em tintas de acabamento acetinado ou semibrilhantes, mais fáceis de limpar. Saiba mais sobre todos os tipos de acabamento de tinta para o seu projeto nesse link. 

5. Decoração à prova de acidentes

Melhor deixar itens pequenos bem guardados. Cachorros são agitados e podem quebrar algumas peças por acidente.

A recomendação é que todos os objetos frágeis e memorabília sejam mantidos fora do alcance dos animais. Uma sugestão é decorar com quadros e pinturas bem firmes na parede.

Isso é bom não só apenas para preservar os itens de decoração, mas para evitar que seu animal engula alguma coisa indevida. Quanto aos tecidos, opte por aqueles de algodão, couro falso e materiais laváveis.

6. Ouse nas cores 

Além de dar alegria aos donos e ao ambiente, os cachorros são um bom incentivo para inserir cores no seu ambiente. Elas disfarçam a sujeira e não deixam manchas ou pêlos tão evidentes quanto em espaços monocromáticos.

O designer Nan Ruvel arrisca dizer que é essencial combinar a cor do cachorro com o piso, para disfarçar qualquer sujeira.

Gostou das dicas? Veja 10 peças incríveis para os apaixonados por gatos.

com informações de RemodelistaArchdailyeHow

imagens Divulgação, Houzz