Ano após ano a madeira continua sendo uma ótima opção para pisos. O material apresenta qualidades indiscutíveis como conforto, beleza e versatilidade. Uma grande variedade de produtos invadiu o mercado nos últimos anos, tornando o material mais acessível e prático.

Pela tamanha variedade de modelos e fabricantes, o consumidor deve se preocupar com questões que vão além do critério estético. Referências do próprio fabricante e do instalador garantem uma instalação adequada.

Entenda as diferenças entre os diferentes tipos de pisos de madeira antes de escolher o seu:

Piso Laminado

Feito de madeira reconstituída, revestido por papel especial e protegido com verniz, o piso laminado não possui a mesma textura da madeira natural, mas se sai bem ao imitá-la. São a opção mais barata do mercado, além de muito práticos na hora de instalar.

O piso pode ser aplicado sem cola por meio de encaixe macho-fêmea. Uma das maiores reclamações desse tipo de piso é o ruído que apresenta quando se caminha sobre ele. Uma manta pode ser colocada entre o laminado e o contrapiso para diminuir esse ruído e corrigir o desnível da superfície.

Taco ou Parquê

As pequenas placas retangulares são aplicadas com cola asfáltica e podem formar inúmeras paginações. Esse tipo de piso possui a maior durabilidade entre as opções de madeira. Depois de desgastado, o taco permite novos lixamentos e envernizamentos.

Quanto maior a espessura do material, maior sua longevidade. Cada nova raspagem consome de 2 a 3mm da peça. Pontas quebradas e marcas de calafetação irão aparecer indicando que a superfície chegou no limite de raspagem.

Assoalho

As réguas de madeira maciça podem ter espessuras e tamanhos diferentes e satisfazem o gosto por superfícies alongadas. As peças podem ser aplicadas com cola PU, epóxi, parafusos e até mesmo encaixe macho-fêmea. Pequenos espaços entre as placas são necessários para que as peças não empenem com o tempo.

Veja também:  Materiais que Aquecem

A busca por uma estética antiga e desgastada está disponível em produtos novos, tratados através de processos industriais e peças provenientes de casarões antigos. As réguas podem ser raspadas e tratadas, prolongando a vida útil do piso.

Confira também o nosso guia completo de onde aplicar pisos vinílicos – clique aqui para ver.

fotos Divulgação