A madeira é um dos materiais que tem registro como um dos mais antigos a serem utilizados em construções. Por apresentar vantagens como durabilidade, economia de energia e conforto térmico, a madeira continua sendo amplamente utilizada na arquitetura.

Com o desmatamento das florestas brasileira, é preciso adquirir o material de forma consciente. Fatores como estar atento à seleção de fornecedores e escolher as espécies ideais para cada parte da construção contribuem para um menor impacto ambiental.

É para estar atento a esses fatores que preparamos o guia a seguir. Garanta que tudo saia certo na sua construção com as dicas bim.bon:

Certificações

Selos como FSC Brasil, que é um sistema de certificação florestal que identifica produtos oriundos do bom manejo florestal e o Certflor (Programa Brasileiro de Certificação Florestal) seguem as normas da ABNT e do Inmetro.

Para não fazer confusão, saiba que madeira certificada e madeira legal não são a mesma coisa. A madeira legalizada é aquela extraída dentro da exigências legais do país, podendo atender à legislação de exploração.

Já a madeira certificada, além de seguir as exigências das leis, considera outros aspectos ambientais, sociais e econômicos na atividade de exploração. Ou seja, toda madeira certificada é legal mas nem toda madeira legal tem selo de certificação.

Qual espécie usar?

Para usar o material na estrutura da casa, prefira opções de alta densidade. Espécies nativas como o cumaru, o jatobá, pequiá, o roxinho e o itaúba tem alta densidade e resistem bem ao ataque de fungos e cupins.

Desde os anos 60, o Brasil produz também madeira de reflorestamento. Essas espécies podem ser cortadas mais cedo, quando estão com idade entre 10 e 15 anos. A madeira nativa, no entanto, precisa de aproximadamente 30 anos para ser cortada.

Veja também:  Hometeka para time WeWork

O eucalipto e o pínus são as espécies mais populares entre as reflorestadas e muitas vezes são vendidos em formato roliço. Apesar de serem consideradas mais sustentáveis, essas árvores não dispõem de alta resistência natural e pedem tratamento químico.

Cuidados

A vantagem de usar a madeira na estrutura é a limpeza na obra e a leveza das peças, que resulta em fundações mais simples. Em construções enterradas e subsolos, esse tipo de material deve ser evitado. A madeira tem grande sensibilidade à umidade e quando em contato com a água funciona como uma “esponja”, se dilatando constantemente.

Quem planeja construir a casa em madeira precisa realizar um tratamento químico no solo ao redor da moradia para evitar o cupim. Além desse cuidado, vale apostar em impermeabilizantes.

Toda a madeira exposta deve ser protegida com verniz ou stain. A diferença entre eles é que o primeiro forma camadas na superfície da madeira, já o stain penetra sem formar película.

Conheça também quatro eficientes sistemas de construção à seco – clique aqui para ver. 

fotos Divulgação

com informações de Casa Abril e Portal Casa e Cia