Conheça os 5 mandamentos para cuidar de um jardim e confira as dicas de paisagismo que a Hometeka preparou pra você:

Cuidados Básicos

Seja no quintal de casa ou a vários metros de altura, existem certos cuidados essenciais a qualquer tipo de jardim:

Planejamento: É preciso pensar na área que vai receber o jardim como um todo. As dimensões e usos do espaço, como área para churrasqueira, piscina, gazebos, etc. É que determinarão onde e quais plantas devem ser plantadas, considerando o solo, o clima e até mesmo a fauna do local. Por exemplo, colocar plantas com espinhos em locais de circulação não é uma boa pedida, mas posicionar uma árvore que projete uma boa sombra em um jardim ensolarado é bem apropriado.

O projeto de paisagismo deve se adaptar à realidade em que vai ser inserido, portanto, recomenda-se a consulta de um arquiteto, paisagista ou até mesmo de um engenheiro ambiental.

Espécies nativas: Talvez aquela espécie exótica do Oriente não seja a melhor para o seu espaço verde. Espécies nativas são as mais recomendadas já que se autossustentam e poupam trabalho. Procure por plantas compatíveis com seu estilo de vida.

Cactos e suculentas suportam pouca iluminação e ventilação, e podem ficar até uma semana sem serem irrigadas, perfeitas para donos mais relapsos.

Antúrios, bromélias e outras espécies perenes são mais indicadas para pessoas que podem dedicar um pouco mais de tempo ao jardim, já que tem maior resistência às mudanças climáticas e crescem em um ritmo mediano.

Espécies frutíferas e que florescem, como rosas, jabuticabeiras e azaleias exigem maiores cuidados em frequência diária e sazonal. Deve haver atenção especial às troca de estações, irrigamento, mudas e sementes.

V4 House

Escolha da grama: Grama bonita é grama saudável. Assim como as árvores e pequenos vegetais, as gramíneas devem se adequar ao clima e ao solo, mas principalmente à incidência de luz e tráfego de pessoas. Se você tem crianças e animais de estimação, por exemplo, deve optar por uma que resista bem a pisadas e eventuais puxões. Locais e profissionais específicos de jardinagem saberão recomendar a espécie perfeita para a sua casa.

Manutenção: A frequência de manutenção é relativa à composição do jardim, mas no geral, rotinas de irrigamento, poda e aplicação de adubos e fungicidas vem no pacote para manter um belo espaço.

Sustentabilidade: “É verde, logo, é sustentável.” Não necessariamente. Os gastos de recursos hídricos com irrigação e danos ao meio ambiente provenientes de substâncias tóxicas podem fazer do jardim um espaço não tão ecológico. Medidas de reutilização de água da chuva, a rega pela manhã e a procura por adubos e insumos naturais deixam a área mais coerente com o meio-ambiente. Caixas, gavetas e outros materiais também podem ser reutilizados como vasos e jardineiras.

Veja agora recomendações específicas para cada modalidade de jardim:

Veja também:  Materiais que Aquecem

Jardim de Inverno

Jardins de inverno são caracterizados pela vegetação distribuída nos ambientes internos. Eles ajudam a refrescar o ar e dão um aspecto aconchegante aos espaços.

Porém, assim como todo conjunto de plantas, esses jardins precisam ser inseridos em locais que recebam luminosidade – próximos a janelas, sacadas, tetos de vidro, abaixo de uma claraboia, etc. E de que sua rotina se adeque a irrigação constante, retirada de folhas mortas, adubação e cuidados com pragas e fungos.

As espécies indicadas são as que se adaptam ao ambiente doméstico, como bocas-de-leão e lobélias. A maioria das plantas utilizadas nesse tipo de jardim são acomodadas em vasos, então é importante prestar a atenção na dimensão das raízes e volume das folhas. Lastros e pequenos seixos ajudam na composição desses jardins.

A iluminação e itens de decoração devem ser à prova d’água. Arandelas, espetos de luz e móveis de vime são comumente utilizados nestas áreas.

Jardim Vertical

Jardins verticais são muito dinâmicos e podem ocupar desde um cantinho da casa a paredes inteiras. Há muitos recipientes e sistemas para este tipo de jardim no mercado. Dentre os mais usados estão a fibra de coco e vasos meia-lua cerâmicos. O segredo é encontrar algum que se adeque ao seu espaço e orçamento, mas principalmente ao tamanho das raízes da planta, prevendo o crescimento da espécie.

Os vegetais podem ser sustentados em treliças, blocos pré-fabricados ou simples garrafas PET suspensas por cordas de varais. É importante ressaltar que a superfície que abrigará o jardim deve ser impermeabilizada e que técnicas de irrigação devem ser implementadas de acordo com as plantas. A rega manual e os sistemas de gotejamento são os mais utilizados, o que fazem desse jardim um pouco mais fácil de cuidar.

No mais, explore as diferentes disposições de vasos e plantas nos mais variados ambientes. Uma dica é plantar ervas e temperos na cozinha e iniciar uma horta doméstica.

via ArchDaily

Terraço ou rooftop garden

Jardins aéreos integram a tendência sustentável, além deixarem o projeto mais orgânico e econômico devido ao conforto térmico natural das plantas.

No entanto, essa técnica demanda maior custo e tempo. Preferencialmente, os rooftop gardens devem ser acompanhados por um arquiteto ou engenheiro, já que a estrutura da edificação deve ser levada em conta na hora de decidir que espécies e materiais serão empregados. Um sistema próprio de drenagem deve integrar o planejamento de um jardim deste tipo, para evitar problemas de infiltração.

Nas condições apropriadas, as plantas crescem e deixam o ambiente muito bonito em pouco tempo, além de agregarem valor à propriedade.

Lembre-se: plantas são seres vivos e precisam de cuidados. Tome cuidado também com a água parada e o risco de dengue.

Encontre outros projetos de jardins para se inspirar.

 

Com informações de Eco inovação, Revista Casa e Jardim e Brasil Paisagismo.